[Crônica] Sobre os 7 a 1

"Ele é perigoooso... gol da Alemanha"
“Ele é perigoooso… gol da Alemanha”

 

Vejo que a maioria está triste com o sacode que o Brasil tomou.

Vi o pessoal chorando no estádio e muitas pessoas comentando nos grupos de whatsapp que estavam chorando em casa, os filhos pequenos aos prantos e tal.

Não, eu não estou feliz. Estava torcendo para o Brasil como não imaginava que pudesse voltar a torcer. E estava confiante, com a impressão que a camisa amarela falaria mais alto e jogaria sozinha, nos trazendo uma vitória improvável contra uma equipe visivelmente melhor preparada para a competição.

Mas, sendo bem sincero, estou indiferente. Estaria feliz se tivesse ganho, mas essa derrota, da maneira que se desenhou, não me deixou triste, com raiva, indignado, estupefato, chocado… não me deixou com nada.

Triste eu fiquei em 90. Primeiro porque tinha 10 anos. Segundo, porque o Brasil matou a Argentina o jogo inteiro e tomou aquele gol no finalzinho, com o Maradona passando por quatro caras sem que ninguém metesse o pé no fdp. Aquilo deu vontade de chorar (e eu chorei pra cacete) porque foi extremamente injusto. Triste, muito provavelmente, as pessoas ficaram em 82, quando formamos um daqueles times que não se forma todo dia (algo tipo Santos de Pelé, Palmeiras de Ademir, Flamengo de Zico, São Paulo de Raí, etc… tudo junto), repleto de craques, e tomamos ferro da Itália numa tarde inspirada do Paulo Rossi.

Hoje não foi injusto, tampouco obra do acaso. A Alemanha mandou no jogo inteiro, fez o que quis conosco. Não foi um lampejo (ou três, no caso do Paulo Rossi) isolado que nos tirou da copa. Merecemos perder, porque o time dos caras é forte e o nosso é fraco. Simples. Já estávamos capengando na competição desde o início. Porra, precisar de pênalti cavado pra ganhar da CROÁCIA??? Empatar dentro de casa com México? Ir para os pênaltis com Chile? Tomar sufoco de Colômbia? Sim, a Alemanha também não fez uma campanha exemplar, mas se mostrou muito mais regular, mostrou-se um time, em todos os momentos. Nós, apenas um catado de jogadores medianos (Hulk??? Oscar??? Fred???), dependentes dos lampejos de um garoto que é muito bom, mas apenas uma pálida sombra do que eram nossos craques do passado.

É pouco, muito pouco.

Ficamos para trás. Olhe nosso campeonato nacional e olhe o dos caras. Observe a postura de nossos jogadores e observe a dos caras. Nossos jogadores entram na área loucos pra se jogar e cavar um pênalti, preferem a simulação (enganar o árbitro, falando o português claro) do que continuar a jogada. Recebem uma pancada comum e caem se contorcendo como se estivessem com a perna amputada. Levam um jogo de corpo e atiram-se no gramado, rolando com a mão no rosto. Aqui comemoramos pênalti roubado, gol de mão, impedido. Aplaudimos quando jogador dá água para enganar o goleiro adversário (sim, guardei mágoa! :D). É a nossa “malandragem”. Parabéns, olha aí os frutos que estamos colhendo.

Enfim… perto da tristeza em que se encontra o futebol brasileiro, a derrota de hoje não foi nada.

(Sei que há muitas coisas mais tristes que o futebol brasileiro, mas a pauta aqui se restringe às 4 linhas).

____________________________

43 Comentários












































Deixe uma resposta