[Crônica] Tesouros

tesouro

Miguel me ligou hoje, um pouco depois da hora do almoço.

— Pai, tenho duas coisas pra te falar.

— Fala aí, Mig… — já segurei a risada no canto da boca, só imaginando o que viria.

— A primeira coisa é que eu terminei de ler “O Hobbit” — ele falou, deixando claro nas entrelinhas que agora não tenho mais desculpas para adiar a sessão de RPG (quando comprei o livro, disse que só voltaria a mestrar quando ele terminasse).

— E aí, o que achou?

— Ah, legal — (expressão preferida dele para descrever qualquer coisa). — Mas que hora pra acabar, hein? — comentou, meio indignado.

— Como acaba? Eu não lembro! — Não lembrava mesmo, li há muito tempo. Na verdade, não lembro nem do final do filme.

— O Bilbo tá lá conversando com o Gandalf, daí um passa o cachimbo pro outro e acaba. No meio da conversa!

Não consegui mais segurar a risada. Perguntei sobre a batalha dos cinco exércitos, sobre o Bard e o Smaug. Ele contou tudo, fazendo comparações com o filme.

— E a outra coisa, o que era?

— É sobre o Assassin’s Creed… consegui afundar aquele navio lendário.

— SÉRIO? — fiquei realmente surpreso (afinal, quando enfrentei esse navio, fui destruído num piscar de olhos) e precisei me controlar pra não mandar um “PQP! Conseguiu afundar aquele fdp?! Esse é o meu garoto!!!”.

— Morri duas vezes, mas depois consegui — ele falou, com naturalidade. — Agora só falta uma missão da frota do Kenway pra concluir 100% do jogo.

— 100%???

— É…

Fiquei imaginando a carinha de “Fuck Yea!” que ele certamente estava do outro lado da linha.

— Papai vai te buscar amanhã — me despedi, depois de conversarmos mais um pouco sobre os tesouros do jogo e do livro.

* * *

Só um relato sobre coisas simples, que talvez pareçam até bobas, mas que me fazem sorrir e chorar de vez em quando.

____________________________

Deixe uma resposta